Fale conosco:

O que é lágrima ácida?

O termo “lágrima ácida” se refere às manchas escuras ao redor dos olhos de cães. Porém, o pH da lágrima não tem influência direta com essa mancha.
A Cromodacriorréia, termo correto relacionado a essas manchas, é uma pigmentação marrom-avermelhada que acontece com frequência em animais com epífora e/ou lacrimejamento. Isso faz com que a lágrima escorre através das pálpebras levando à umidade dos pelos ao redor dos olhos e consequente pigmentação local. 

A epífora é uma alteração na drenagem da lágrima, e ocorre quando os animais possuem o canal da lágrima obstruído ou até mesmo a ausência deste. Já o lacrimejamento é quando os animais estão produzindo lágrima em maior quantidade por algum desconforto ocular, tendo como exemplo as alterações palpebrais que fazem com que os pelos fiquem raspando no olho.

Qualquer raça pode ter essa alteração, porém os principais animais acometidos são os animais de focinho curto, cães como Maltês, Shih-tzu, Pug, Lhasa-apso, Bulldog, e gatos como Persa, Himalaio, entre outros.

A umidade excessiva dos pelos ao redor dos olhos causada pela epífora e pelo lacrimejamento facilita a proliferação de bactérias no local que são capazes de causar odor fétido e produzir pigmentos de coloração escura no local. Adicionalmente, outro fator que leva a pigmentação é uma substância da própria lágrima, a lactoferrina, substância essa que quando em excesso, também pode levar a coloração escura da pele e pelos.

O tratamento dessas alterações requer uma avaliação cautelosa para identificar a sua causa. Não é aconselhável o uso de antibióticos e outros medicamentos sem indicação de um especialista, pois, apesar de em um curto prazo melhorarem a aparência, não tratam o problema como um todo, podendo originar outras complicações como resistência bacteriana, por exemplo.

Um profissional qualificado é capaz de identificar e tratar as desordens oftálmicas que causam desconforto ocular, obstrução do canal lacrimal, além de identificar a presença de pelos que estão em contato com a superfície ocular, a fim de tratar a causa exata do problema e melhorar os sinais clínicos do paciente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.