Fale conosco:

Quais os riscos da medicação oftálmica sem prescrição veterinária?

Muitas vezes se houve falar que um tutor usou tal colírio sem prescrição médica após observar uma alteração no olho do seu pet. Ou que um amigo disse sobre qual colírio usar em determinadas ocasiões porque foi bom para o pet dele. Saiba que essa conduta, muitas vezes vista como uma solução para o alívio imediato de alguns sintomas, pode trazer consequências mais graves do que se imagina e até cegueira.

As pessoas também acabam procurando informações na internet, mas nesse caso a internet acaba sendo o maior inimigo do seu animal, pois diversas doenças se assemelham nos sintomas clínicos, e até mesmo o Veterinário necessita de exames específicos para diagnosticar a doença. Apesar da boa intenção, nem sempre a iniciativa alcança o resultado esperado, pois existem diferentes tipos de colírios ou pomadas para necessidades específicas.

O aspecto aparentemente inofensivo dos colírios e a facilidade de administração somados ao fácil acesso às drogas oftalmológicas nas farmácias são fatores de risco. O uso de medicamentos de forma incorreta pode acarretar efeitos colaterais, resistência microbiana, associações perigosas (uso de dois ou mais medicamentos que não deveriam ser usados juntos podendo um anular o efeito do outro), agravamento de uma doença já existente, uma vez que a utilização inadequada pode esconder determinados sintomas, e vários outros riscos.

O uso de colírios com antibióticos de forma crônica e irregular pode, por exemplo, facilitar o aumento da resistência de microorganismos, o que compromete a eficácia dos tratamentos. Colírios que possuem vasoconstritores, podem levar a alterações cardíacas e elevação da pressão arterial. Um dos mais perigosos na oftalmologia veterinária é o corticóide, que, quando utilizado erradamente, pode promover piora grave de algumas patologias oculares. Por exemplo, pacientes com úlceras de córnea  podem ser prejudicados significativamente pelo uso dessa substância levando até mesmo a perfuração do olho acometido com sequelas graves ou até mesmo perda desse olho. O corticóide é comum nas formulações dos colírios mais utilizados indiscriminadamente e sem prescrição. Por isso deve se ter muita cautela e responsabilidade.

Outro detalhe que quase não é levado em conta pelas pessoas é a validade do colírio. É preciso ter cuidado: quando termina o prazo de validade, o colírio pode estar contaminado com bactérias e assim piorar um quadro oftámico simples.
Há poucas opções de colírios e pomadas oftálmicas na linha pet, porém esses podem ser comprados sem receita de um veterinário. Já na linha humana, alguns dos medicamentos necessitam de receita, o que dificulta um pouco esse ato de medicação sem prescrição. Os medicamentos humanos não são proibidos para os animais, em alguns casos o médico veterinário faz a prescrição por inexistência de outro na linha pet. Porém, como já citado, a prescrição deve ser feita exclusivamente por um médico veterinário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como podemos te ajudar?