Fale conosco:

O meu pet tem os olhos muito salientes. Preciso ter algum cuidado?

Muitos animais de raças consideradas braquicefálicas (focinho curto) como Shih tzu, Pequinês, Buldogue, Pug, Persa e Himalaio, tem uma exposição exacerbada dos olhos, o que propicia o aparecimento de alguns problemas oftálmicos. Muitos tutores acham que essa condição dos “olhos pra fora” é normal, porém desconhecem que isso pode ser prejudicial ao seu pet.

Essas raças citadas acima possuem a órbita rasa e o tamanho das pálpebras muito longa (euribléfaro). Isto pode levar a uma alteração chamada lagoftalmia que é o fato do animal não conseguir fechar completamente as pálpebras durante o ato de piscar ou quando está dormindo, permanecendo assim com as pálpebras parcialmente abertas. Isso promove um ressecamento da córnea e pode gerar outras consequencias como lesões e cicatrizes locais prejudicando a visão desse pet.

O fato desses olhos ficarem muito expostos facilita também ao aparecimento de úlceras de córnea traumática, pois a falta de proteção que esses olhos deveriam ter, permite que qualquer brincadeira ou até mesmo o ato de coçar o olho gere uma lesão. Da mesma maneira que uma proptose do olho (deslocamento do olho para frente) pode ocorrer por um trauma qualquer, já que a facilidade desse olho “sair” da órbita é comum.

A exposição excessiva dos olhos também facilita o contato de algum pêlo podendo promover algum desconforto com possível lesão. O tratamento cirúrgico através de uma plástica palpebral fazendo assim a redução da pálpebra e promovendo um melhor posicionamento desse olho com menos exposição ajuda a previnir o ressecamento dos olhos, ao aparecimento de úlceras de córnea e a chance de uma proptose traumática. 

Todas essas alterações podem levar o animal à cegueira e, portanto, é importante fazer uma avaliação para saber se é necessário algum procedimento para minimizar esses problemas citados anteriormente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.