Fale conosco:

Quando o olho sai da órbita. Saiba o que é a Proptose

Por definição, proptose é o resultado de um deslocamento anterior e repentino do bulbo ocular (olho) com imediato encarceramento pelas pálpebras, não permitindo o retorno à posição original. Assim, literalmente o olho saiu da órbita (cavidade óssea onde estão inseridas as estruturas oculares).

Causas da Proptose

Dentre as causas de proptose incluem traumas, problemas dentários, corpos estranhos, neoplasias que desloquem o bulbo ocular anteriormente. Cães e gatos braquicefálicos (focinho curto) são os mais afetados devido as suas características anatômicas apresentando a órbita rasa. Nessas raças traumas leves podem causar facilmente a proptose. A ocorrência em raças dolicocefálicas (focinho longo) está associada a um trauma maior, pois o bulbo ocular está mais protegido, sendo necessária uma força intensa para que ocorra o deslocamento.

Já em gatos, o espaço retrobulbar (atrás do olho) é menor em comparação aos cães. Sendo assim, a proptose está associada à traumas severos com fraturas ósseas, hemorragias, grandes rupturas dos músculos extra-oculares, condições estas que determinam um prognóstico, muitas vezes, desfavorável nos gatos.

Recomendações

A proptose do bulbo ocular é uma emergência oftálmica real e necessita de uma avaliação rápida e tratamento precoce. Quanto mais rápido for a procura pelo serviço veterinário especializado melhor o prognóstico, visto que os animais atendidos rapidamente apresentaram taxas maiores na recuperação da visão. Mesmo se a visão não puder ser preservada, na maioria dos casos os olhos podem ser mantidos para propósitos estéticos desde que o manejo seja precoce e correto. Nestes casos, os olhos em proptose devem ser reposicionados sob anestesia geral tão logo quanto possível e realizadas suturas palpebrais (tarsorrafia).

O bulbo ocular fora da órbita sofre oclusões vasculares resultando, com o tempo, em complicações graves no nervo óptico, glaucoma (aumento da pressão intra-ocular), inflamações e por fim necrose nas estruturas oculares. Além disso, a exposição promove a proliferação de bactérias e o ressecamento do olho, levando a úlceras e perfurações de córnea. Essas complicações são associadas à demora na busca pelo atendimento e inviabilizam a manutenção do olho mesmo para fins estéticos. Nos casos de traumas severos com inviabilidade imediata do bulbo ocular ou com graves sequelas devido ao tempo de proptose o tratamento de escolha é a enucleação (remoção do bulbo ocular).

Como pudemos ver, o período entre o momento do trauma e o atendimento dos pets pelo serviço especializado é a medida que mais influencia na recuperação da visão ou mesmo na manutenção estética do olho.  Algumas medidas podem ser realizadas até a chegada do pet no serviço especializado: umedecer o olho com solução fisiológica para a remoção de sujidades, instilação de colírios lubrificantes para evitar o ressecamento e proteger o olho para evitar a automutilação com o uso de colar protetor. Mas lembre-se que quanto mais rápido o atendimento melhor o prognóstico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.